O que é a Metamedicina?

A palavra Metamedicina é formada pelo prefixo grego meta que significa “além”, e pelo substantivo medicina, que indica o conjunto de meios utilizados para prevenir, sanar e aliviar doenças.

Em sânscrito, além disso, a palavra meta significa: amor e compaixão.

Algumas pessoas definem à Metamedicina como uma filosofia de vida, outros a consideram uma medicina psicossomática, outras ainda a medicina das emoções ou da alma, mas todas concordam que é acima de tudo uma medicina do despertar da consciência.

A Metamedicina vai além de simplesmente apagar a dor ou desaparecer os sintomas, concentrando-se em encontrar a causa emocional das doenças.

A Metamedicina ajuda a reconstruir a história de uma doença, enfermidade ou desconforto profundo, tanto quanto possível para o aparecimento dos primeiros sintomas; para este fim, são utilizadas as chaves que orientam a “conversa relevante”, necessária para ir para a origem da desarmonia acontecida.

 

A Metamedicina é uma medicina feminina, complementária à medicina masculina

Quando é necessário fazer um diagnóstico, corrigir uma disfunção ou reparar um tecido, a medicina clássica, que tem um caráter masculino e dedutivo, pode intervir com sucesso. Seguir o caminho da auto-cura não significa que não precisa mais de médicos ou cuidados: nosso corpo pode precisar de ajuda para reparar as partes afetadas.

Entretanto, enquanto apenas as manifestações físicas são intervindas, a causa continua a trabalhar e a propagar-se, assim como o capim que é arrancado sem eliminar sua raiz.

Os operadores de Metamedicina não diagnosticam ou oferecem tratamentos, eles usam uma série de perguntas relevantes para acompanhar a pessoa para tomar conhecimento da causa de seu sofrimento. O próprio Hipócrates dizia: “Se você está doente, primeiro descubra o que fez para se tornar um.”

O leitor observará que nos textos de Claudia Rainville há sugestões na forma de uma pergunta, as "chaves".

Dominar as chaves da Metamedicina significa ser capaz de usar o hemisfério direito e esquerdo, tanto a lógica quanto a intuição, tanto a análise quanto a visão global.

 

Uma abordagem indutiva semelhante à Maiêutica de Sócrates

A mãe de Sócrates era parteira. O filósofo foi inspirado pelo trabalho das mulheres e desenvolveu o diálogo: ele afirmou que a verdade não pode ser ensinada, mas cada um tem a tarefa de descobrir, de “parir” a sua própria.

Da mesma forma, em uma consulta, a questão dá ao interlocutor a liberdade e o tempo para refletir sobre sua própria experiência.

Na Metamedicina as inferências são evitadas, o consultor “sabe que não sabe”, tem como objetivo acompanhar a pessoa a traçar o aparecimento do sintoma, quando se manifestou e, especialmente, as emoções e os sentimentos que sentiu nesse contexto.

A Metamedicina ajuda as pessoas a renascer para uma nova vida

Prosseguir a formação oferece a possibilidade, a quem quer, de se tornar consultor e monitor dos seminários de Metamedicina.

A Metamedicina também é uma grande família animada pela ideologia “juntos para o todo e para o melhor de cada um.”

Dentro do nosso grupo não há estrutura hierárquica, senão uma organização que pode ser comparada com a de uma colmeia.

Na realidade da Metamedicina cada indivíduo tem sua tarefa, que ele continua com dedicação e paixão, para que tudo funcione. Cada membro da família é encorajado a encontrar o seu lugar, para expressar seus talentos em um espírito de colaboração e apoio mútuo.

Fazer parte de tal sistema requer uma certa maturidade e uma consciência de grupo.

Se você quiser participar do desenvolvimento de um novo modelo de sociedade, bem-vindo à Metamedicina!

 

A metamedicina não se destina a substituir o tratamento de um médico, terapeuta ou psiquiatra. Pode, no entanto, ser muito eficaz como suporte e integração de um caminho evolutivo pessoal. Antes, aponta para uma introspecção da pessoa que faz uma consulta e, portanto, favorece uma melhor colaboração entre um paciente e seu médico. O consultor de Metamedicina não faz um diagnóstico, não prescreve medicamentos e não substitui o corpo médico de forma alguma. Um consultor em Metamedicina é treinado para ouvir profundamente a pessoa que o consulta. Com as ferramentas da Metamedicina, guie a pessoa a tomar consciência da causa dos desequilíbrios emocionais, físicos e mentais que a dominam; o acompanha para se libertar dela e assim recuperar sua própria harmonia.